Você sabe o que significa a palavra Chévere?

Existem algumas teorias sobre a origem etimológica desta palavra, de qualquer forma, todas tem seu charme, e logo mais falarei sobre elas, mas por enquanto, como eu a conheci...

Escutei pela primeira vez na Colômbia. Era a resposta preferida dos meus amigos locais para concordar com algo, confirmar algo que achavam bom ou gostoso, ou, ainda, elogiar alguém ou uma situação.

A gíria rapidamente foi parar no meu vocabulário e recebeu uma nota honrosa no meu caderninho de anotações da viagem (simmmmm…. Eu já andava com caderninhos nessa época).

Anos se passaram, e, numa certa noite enquanto buscava um nome para meu estúdio de encadernação, me lembrei da expressão “¡que Chévere!”, que imediatamente me trouxe recordações incríveis da minha viagem a Bogotá… de amigos que fiz, de músicas, comidas e lugares.
Uma luz se acendeu na minha cabeça: “Why not?” Por que não usar essa palavra que me remetia a tantas lembranças boas?

Seria a combinação perfeita entre o significado da palavra e o objetivo do Studio que é alegrar o coração das pessoas através de encadernações criadas com muito carinho, espalhando beleza, alegria, música e encanto.
As dúvidas acabaram, eis o nome para o meu empreendimento: “Studio Chevere”.
 
 
Chevere – Origem
De acordo com a maioria dos dicionários espanhol-português que consultei, a palavra chévere, é uma gíria, que tem seu uso em vários países de língua latina, desde a Venezuela até a Argentina. Alguns dizem que sua origem se deu em Caracas, capital da Venezuela.
 
Existem referencias na internet a respeito da palavra “Chevere” (ou legal, em português) ser um neologismo originário da língua efik introduzida no Caribe, especialmente na Colômbia, Equador e Venezuela no início do século XIX por imigrantes africanos da Nigéria.

Os efik, que vieram a Cuba como escravos, posteriormente fundaram a sociedade Abakuá, e então teriam grande influência na música cubana dos séculos XIX e XX. Em seu idioma original, o termo legal ou frio significa cabeça insolente ou “o mais forte”. Na música cubana, em geral no bolero, e especialmente nas edições de Rolando Laserie, Celina e Reutilio, Beny Moré, Tito Puente e Bebo Valdés.

Com o tempo, a palavra Chévere começa a mudar de significado tomando a figura e a força de tudo relacionado a bom, agradável, ótimo, excelente, engraçado, elegante etc. Graças à influência musical venezuelana de músicas de José Luis Rodríguez “El Puma” com sua música Pavo Real, é popularizada no resto do continente no final dos anos 70, depois com a divulgação das novelas populares venezuelanas dos anos 80 e 90, o termo passa ser usado em diferentes países do Caribe, América Central e México, Colômbia e algumas regiões do Peru, Panamá e Equador.

Fonte: Google, Wikipedia, Linguee, Blog Influx